Brasileiros podem ser liberados de entrevistas para obtenção de visto para os EUA Por Roberta Lopes, da Agência Brasil


O governo dos Estados Unidos estuda a possibilidade de liberar os brasileiros, que solicitam vistos para visitar o país, das entrevistas feitas pela embaixada e pelos consulados no Brasil.
A iniciativa ocorre um dia após a decisão, anunciada na quinta-feira (19) pelo presidente Barack Obama, de facilitar a entrada de brasileiros e chineses no país. De acordo com informações da Embaixada dos Estados Unidos, as autoridades examinam como será a execução da medida e os detalhes adotados nos novos procedimentos.

Ainda de acordo com a embaixada, foi criada uma força-tarefa que terá 90 dias para entregar a Obama a proposta do projeto-piloto para dar mais agilidade à concessão de vistos para os cidadãos do Brasil e da China.

O projeto em estudo pretende reduzir o tempo de espera para a obtenção do visto em torno de 40%. A meta é garantir que, em até três semanas, 80% das pessoas que entram com pedido de visto sejam atendidas.

Atualmente, o brasileiro que solicita o visto deve preencher formulários na internet, agendar um dia para comparecer à representação diplomática — à embaixada em Brasília ou aos consulados em Recife, São Paulo e Rio de Janeiro — onde será submetido ao recolhimento de impressões digitais e fará uma entrevista. Pessoas com mais de 80 anos são dispensadas desse processo.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

A Embaixada dos Estados Unidos informou que, em 2011, foram concedidos cerca de 1 milhão de vistos apenas no Brasil, registrando aumento de 51% em comparação ao ano anterior. A expectativa é que, até 2016, haja um crescimento de 274% no número de visitantes brasileiros nas cidades norte-americanas em relação com 2010. No Brasil, 95% dos vistos solicitados são aprovados.

DEPORTAÇÃO

Em meio à decisão do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de facilitar a concessão de vistos para brasileiros e chineses, o governo norte-americano anunciou também o fim dos procedimentos de deportação de mais de 1,6 mil imigrantes ilegais. Os imigrantes vivem nas regiões de Denver (Colorado) e Baltimore (Maryland). De acordo com as autoridades, essas pessoas não são consideradas ameaça à segurança nacional.

A recomendação foi dada após a revisão de 11.682 processos pendentes envolvendo imigrantes ilegais. A orientação de Obama é para as autoridades darem prioridade às deportações de pessoas que cometeram crimes e que representem uma ameaça pública à segurança nacional.

De acordo com dados preliminares, 7.923 casos foram revistos em Denver, no estado do Colorado, sendo que 1.301 processos foram arquivados. Em Baltimore, no estado do Maryland, 366 dos 3.759 casos de deportações revistos também foram recomendados para arquivo.

Funcionários do governo informaram que o cancelamento das deportações depende, essencialmente, de uma espécie de atestado de bons antecedentes. No ano passado, o governo norte-americano anunciou que cerca de 300 mil casos de deportação pendentes seriam revistos desde que os imigrantes ilegais não representassem ameaça pública à segurança nacional.

Os imigrantes cujos processos são arquivados não ganham estatuto legal e ainda podem ser sujeitos a deportação caso cometam crimes ou se tornem uma ameaça nacional. A revisão dos processos de deportação pendentes deverá ser finalizada no primeiro semestre deste ano.