“Barriguinha não importava para mim”, diz namorado de técnica de enfermagem

Foi o que se pode definir como “uma paixão alucinante” o sentimento que moveu o curtíssimo relacionamento amoroso – com cerca de dois meses de duração – do técnico de informática Adilson Nascimento, 44, com a técnica em Enfermagem Luana Balestrero Borges, 25, que morreu na última segunda-feira, durante uma cirurgia de lipoaspiração no Hospital e Maternidade Santa Paula, em Vitória.
Nesta quarta (14), ainda sob efeito da tragédia, Adilson falou sobre o quanto Luana desejou submeter-se à cirurgia estética e sobre os cuidados que ela adotou para que tudo desse certo, visando à materialização do seu sonho: poder exibir seu corpo na praia, de biquíni, no próximo verão, livre dos “defeitos” que só ela enxergava.

“O que eu queria, agora, era estar perto dela, sentir seu cheiro, vê-la sorrindo. Luana iluminava os lugares aonde chegava. Culote, barriguinha, o que ela via no seu corpo, e eu não via, nada disso importa”, diz Nascimento, que aguarda o laudo do Departamento Médico Legal para saber o que causou a morte da mulher com quem planejava se casar.

O hospital não revelou o nome do médico que operou Luana. Já o Conselho Regional de Medicina promete apurar o caso para ver se há indício de erro médio.

Desejo

Desde que conheci Luana, era já falava da sua vontade de fazer uma cirurgia plástica. Ninguém queria que ela fizesse, mas Luana era muito vaidosa.

Pesquisa

Como ela chegou a me dizer, um dia, que faria a cirurgia, de um jeito ou de outro, porque era esse o seu desejo, eu disse a ela que pesquisasse bem, antes, para escolher um bom profissional. Ela marcou consulta com um que já havia operado três amigas dela, de Viana.

A consulta

Eu fui com ela à consulta médica, porque disse queria saber de todos os detalhes da cirurgia. Antes de entrar na sala, ela conversou com algumas pacientes. Lá dentro, o médico deu a Luana e a mim todas as explicações. Ele foi atencioso. Pediu exames pré-operatórios e disse que, se algum deles desse problema, ele não a operaria.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Indicações

Luana chegou a dizer ao médico que queria fazer plástica nos seios, mas ele, após avaliá-la, disse que não era necessário. Concordou com a lipoaspiração na barriga e nos culotes.

Sem restrição

Luana fez todos os exames pré-operatórios. Estava tudo perfeito, e a cirurgia foi marcada. Ela havia feito uma pequena curetagem no útero umas três semanas antes. Algo simples, no consultório de outro profissional.

Medo

Na véspera da lipoaspiração, ela me disse que estava com um pouco de medo. Eu lhe disse: “Então, não faça”. Toda mulher tem uma celulite aqui ou ali. O corpo não é igual àqueles que a gente vê nas revistas, com photoshop. Mas ela garantiu que faria a operação. Era decidida.

A notícia

No hospital, os médicos me disseram que, quase no final da operação, houve algo como uma embolia, e ela havia morrido. O corpo foi para o DML, e a autópsia não foi conclusiva. Recolheram amostras de fígado, pulmão, coração e cérebro para novos exames. Até sair o resultado, não culpo o médico.

Aliança

Eu iria comprar a aliança de casamento para ela nesta semana. Luana era amorosa, bonita por dentro e por fora. Tivemos um amor de cinema. Queria estar perto dela, sentir o cheiro dela.

Como aconteceu

Segunda-feira – Cirurgia

No último dia 12, Luana Balestrero Borges, 25 anos, internou-se no Hospital e Maternidade Santa Paula, em Jardim Camburi, Vitória, para submeter-se, segundo seu namorado, Adilson Nascimento, a lipoaspiração de abdômen e culotes

Exames – Liberação

A direção do hospital garante que exames pré-operatórios não apresentavam contraindicação à cirurgia plástica

Tempo – 45 minutos

A cirurgia foi iniciada às 7h30, e 45 minutos depois a paciente teria sofrido súbita perda
de consciência e parada cardíaca

Reanimação – Morte

Luana morreu após médicos terem tentado reanimá-la durante mais de uma hora, no hospital

DML – Sem conclusão

Laudo preliminar do Departamento Médico Legal apontou causa indeterminada. A direção do hospital aventou possibilidade de uma embolia gordurosa