ATAQUE DE RISO: É possível controlar ?!

riso os perigos.

As situações que desencadeiam uma crise ou ataque de riso podem acometer qualquer pessoa em quaisquer circunstâncias, e até em momentos ditos inoportunos ou inadequados. Eu já passei por esta situação em Curitiba, quando estava em um ônibus circular superlotado (eita pobreza) e de repente me lembrei de uma situação embaraçosa que um amigo meu tinha se metido, e comecei a rir compulsivamente, mesmo tentando segurar, estava dando convulsões internas de riso que, quem estava perto, enquanto eu segurava pra não gargalhar, pensava que iria vomitar ali mesmo, mas como toda crise, a do riso não é diferente, a gente não tem como escapar dela, e então acabei explodindo em gargalhadas, alguns passageiros, já acostumados com tanta coisa bizarra que passa no dia a dia do cotidiano de grandes cidades, nem sequer olhavam, mas outros, se mantendo sério, eu podia ver o franzir das sobrancelhas, e claro, tinha que desviar logo o olhar e continuar na tarefa quase impossível de me conter diante da inevitável e incontrolável vontade de gargalhar, para não dar a entender que eu estaria rindo da cara de alguém por ali perto, e acabar até levando umas bofetadas.  Mas mesmo assim, com a gargalhada saindo pelas narinas, tinha um outro passageiro que resolver pegar uma carona,   acabou entrando na onda e começou rir também, e foi isso que me salvou, pois eu através dele vi a situação de outro angulo, pensando que, se ele não sabia (Com certeza não sabia) do quê eu estaria rindo, pude presumir que, ele estava rindo da minha cara. (Só assim eu, literalmente…. ENGOLI A CRISE DE RISO). Tenho um tio (Alcebíades Rabello) que é o que considero um caso clínico severo de ataque hilárico quando estava em um velório, não conseguia conter o ataque de riso, provavelmente causado por algum tipo de tique nervoso, ou distúrbio emocional que nem Freud esplica. 

norma fleming
Dra Norma Fleming.

Quem consegue se segurar quando bate a vontade de soltar aquela gargalhada?                                                                                                                                  

Rir faz muito bem à saúde, relaxa, ajuda o coração. O problema é quando a ocasião é inadequada e as pessoas começam a rir em momentos nada engraçados. É o chamado riso nervoso.  Segundo a neurologista Norma Fleming, o riso nervoso é uma resposta ao estresse; é algo independente da vontade da pessoa. O riso nervoso costuma envergonhar quem protagoniza a cena.  A ironia é que, gargalhar intencionalmente, não é fácil. Estudantes de teatro, por exemplo, passam aulas treinando o riso para que, em cena, não soe falso.

Para quem, volta e meia, é pego pelo riso incontrolável, a professora de teatro Rose Gonçalves dá uma dica: “Pense na vogal ‘u’.”

Pense em sua cabeça, “não posso rir, não posso rir”;
Pense em coisa triste ou coisa séria;
Respire fundo várias vezes(inspirar e expirar);
Controle os risos mentalmente, você vai rir se sua cabeça deixar.

O prazer do riso.

Dr. Hebert Cabral
Dr. Hebert Cabral

A equação que representa as risadas desenfreadas é injusta com quem está no meio da crise. Pois quanto mais você ri, mais você quer rir, explica o professor Doutor em Neurologia e pós-Doutor em Neurociências Hebert Cabral. Principalmente se alguém que está do lado cai na risada, também. “Do ponto de vista cerebral, quando você começa a rir e visualiza outra pessoa rindo, você ativa uma região cerebral chamada Núcleo Acubens. Uma vez ativado esse núcleo, você tem a sensação de prazer, pois ativa também o circuito de recompensa”. Essa área do cérebro é a mesma atingida por drogas como a maconha e a cocaína, com a diferença que a sensação de prazer é provocada por fatores externos, enquanto a crise de riso ativa o prazer de forma natural. “É uma sensação prazerosa imensa. Se te dá prazer, você não para. Funciona como um vício. Você ri, vê o outro rindo, sente prazer e continua rindo. Qual é a recompensa disso? Prazer e felicidade, que são conceitos do riso”.

Os ataques de riso nos contextos clínico e psicológico.

O que causa ataques de riso                                                                                                                                                                                                                     Ataques de riso podem ser divertidos — mas frustrantes se forem impossíveis de controlar. Ataques de riso são normalmente surtos inócuos, mais comuns em criança do que adultos. Mas, às vezes, as risadas passam a atrapalhar, tornando-se socialmente inapropriadas e incontroláveis. Esses episódios podem ser improdutivos, constrangedores e indicativos de outros problemas, como a ansiedade. O primeiro passo a tomar para tratar esses ataques de riso incontroláveis é consultar seu médico — ele deve ser capaz de dizer qual a causa.

kkkkk

Humor
A primeira e mais óbvia causa do ataque de riso é o humor. Se alguém faz ou diz algo hilário, a resposta humana natural é o riso. Os ataques de riso acontecem com mais frequência na presença de outras pessoas do que quando a pessoa está sozinha.

Continua depois da Publicidade

Ansiedade
Os distúrbios crônicos de ansiedade também podem causar ataques de riso. Esses não são como os ataques que acontecem quando algo é engraçado — são tentativas inconscientes de alívio de uma situação apreensiva ou constrangedora. Uma vez que a risada é um estado que diminui a tensão, o cérebro supercompensa um estado de ansiedade causando a risada excessiva.

Distúrbios neurológicos
Distúrbios neurológicos, como a Síndrome de Tourette, também podem causar ataques de riso. Essa síndrome em particular faz com que os doentes tenham hábitos ou tiques nervosos que surgem em momentos de ansiedade. Uma tomografia pode ser necessária para descartar essa possibilidade. O tratamento pode incluir vários tipos de medicação e terapia cognitiva e comportamental.

Aceitação
Ataques de riso podem ser uma forma de ganhar aceitação social, especialmente se todos estiverem rindo. Às vezes, eles podem ser usados para dispersar a raiva de um oponente ou de alguém que a vítima — dos ataques de riso — sente ser ameaçador. Isso pode ocorrer pela compreensão errônea de que pessoas que riem são mais amigáveis ou menos ameaçadoras do que aquelas que gritam ou falam de forma mais severa.

Atenção
As risadas podem ser uma busca de atenção, frequentemente empregada por crianças, mas, às vezes, também por adultos, que sentem serem negligenciados emocionalmente. Frequentemente, o ataque começa com algo que a “vítima” achou genuinamente engraçado, mas dura muito mais tempo do que uma risada comum. Tentativas repetidas de fazer a pessoa parar de rir são respondidas com negativas ou ainda mais risada.

Considerações
Se um médico não conseguir achar uma razão fisiológica para os ataques de riso, testes psicológicos podem ser necessários. Em casos em que a ansiedade esteja presente, falar dos problemas pode tornar os ataques de riso menos frequentes, porque a tensão da vítima é aliviada pela expressão verbal de sentimentos e não por risadas.

Possíveis consequências de uma crise de riso.                                                                                                                                                                                                                                                               Um estudo recente divulgado pela revista britânica British Medical Journal (BMJ) revelou que o riso em excesso pode causar danos à saúde, pois os tecidos pulmonares se rompem e se dilatam. Isso causa engasgamentos, falta do ar, provoca desmaios, arritmia cardíaca e enfisema, entre muitos outros problemas.

Pessoas asmáticas correm muitos riscos. Uma crise de riso pode ocasionar um ataque ou até mesmo um pneumotórax, que é conhecido também como “pulmão em colapso”. Isso acontece quando ocorre um acúmulo de ar na cavidade pleural. Pessoas com problemas musculares também perdem toda sua força.

A revista Splitsider publicou, em 2011, um levantamento que aponta que 6% da população têm algum aneurisma cerebral e não sabem disso. Essas pessoas correm um sério risco de romper uma veia no cérebro após rir sem parar. A chance de ruptura em pessoas com problemas coronários também é grande, causando um ataque cardíaco e até a morte.

A doença do riso, a Febre Kuru.                                                                                                                                                                                                                         A Febre Kuru, é uma das doenças mais raras do mundo. Isso porque a chance de contrairmos ou desenvolvermos essa doença é praticamente zero. Para ter febre Kuru você teria que viajar a uma região remota nas montanhas da Nova Guiné, encontrar um dos poucos portadores da doença que ainda existem e simplesmente comer seu cérebro.

febre kuru

A febre kuru é um tipo raro de doença causada por príons que induzem que as proteínas das células do cérebro sejam alteradas. Essa alteração das proteínas leva à formação de um tecido cerebral diferente do normal, resultando em lesões progressivas e incuráveis no cérebro. “Kuru” quer dizer “doença do riso” e com muita razão pois as pessoas afetadas dão ataques de riso histérico. Vai entender!

A febre kuru ocorre apenas na tribo isolada da Nova Guiné. A doença surgiu na década de 50 e rapidamente dizimou aldeias inteiras. Os cientistas logo descobriram que a única forma de contrair a doença era através do consumo de tecido cerebral contaminado. A tribo praticava o canibalismo em rituais fúnebres, cozinhando e comendo os mortos. Eles acreditavam que fazendo isso a força espiritual do morto passavam para o vivo. As mulheres e crianças, parentes do morto, consumiam o cérebro e contraíam a febre kuru. Quando o canibalismo foi abolido na região, os casos da doença praticamente desapareceram.