Assembleia chora com a saída de deputado condenado pela Justiça

O anúncio oficial sobre a perda do mandato do deputado estadual Nilton Baiano (PP), condenado por irregularidade na contratação de uma empresa para obras no Hospital Infantil de Vila Velha, em 2002, comoveu o plenário da Assembleia nesta terça-feira (10). Na época, Baiano era Secretário Estadual de Saúde.

Chorando, o presidente da Mesa Diretora, deputado Theodorico Ferraço (DEM), não conseguiu ler o ato, passando a tarefa ao primeiro secretário da Casa, deputado Roberto Carlos (PT). Antes de ler o documento, o petista fez elogios ao deputado.

“Ele foi um deputado que honrou os votos do povo capixaba. A saída do deputado Nilton Baiano é ao mesmo tempo a retirada de um pedaço desse parlamento”, disse o deputado Roberto Carlos.

A condenação que determinou a suspensão dos direitos políticos do deputado e a perda do mandato foi comunicada à Mesa Diretora da Assembleia no mês passado, mas a saída de Nilton Baiano foi decidida somente na segunda-feira (09), após os membros da Mesa analisarem os argumentos do deputado.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Nilton Baiano acompanhou a leitura do comunicado, sem aparentar abatimento. Depois que o anúncio foi feito, ele foi abraçado pelos colegas de plenário. O deputado Gildevan Fernandes (PV) considera a condenação uma injustiça. “O deputado (Nilton Baiano) sai de cabeça erguida e pode dormir o sono dos inocentes. Essa injustiça será corrigida”.

Quando foi à tribuna da casa para discursar, antes do ato, Nilton não falou sobre sua saída. Apenas elogiou investimentos do governo em segurança pública. Sobre a condenação, ele afirma ser inocente e ter certeza de uma absolvição.

Nilton Baiano tomou posse do cargo de deputado em fevereiro, após Vandinho Leite (PR) se licenciar da Assembleia para assumir a Secretaria Estadual de Esportes. Cacau Lorenzoni é o segundo suplente da coligação do PR e será convocado na próxima sexta-feira.