Após série de denúncias, Carlos Lupi pede demissão do Ministério do Trabalho

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi (PDT), pediu demissão do cargo em função das denúncias de corrupção. “Faço isto para que o ódio das forças mais reacionárias e conservadoras deste país contra o Trabalhismo não contagie outros setores do Governo”, afirma em nota divulgada no Blog do ministério.

Lupi diz que o pedido de demissão, feito neste domingo (04) à presidente Dilma Rousseff (PT), é de caráter irrevogável. “Saio com a consciência tranquila do dever cumprido da minha honestidade pessoal e confiante por acreditar que a verdade sempre vence”, diz a nota. Lupi diz que pediu demissão em função de “perseguição política e pessoal da mídia há dois meses sem direito de defesa e sem provas”.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Ele citou ainda o posicionamento do Conselho de Ética da Presidência da República, que pediu o afastamento de Lupi do cargo.

Tendo em vista a perseguição política e pessoal da mídia que venho sofrendo há dois meses sem direito de defesa e sem provas; levando em conta a divulgação do parecer da Comissão de Ética da Presidência da República – que também me condenou sumariamente com base neste mesmo noticiário sem me dar direito de defesa ? decidi pedir demissão do cargo que ocupo, em caráter irrevogável.

Faço isto para que o ódio das forças mais reacionárias e conservadoras deste país contra o Trabalhismo não contagie outros setores do Governo.

Foram praticamente cinco anos à frente do Ministério do Trabalho, milhões de empregos gerados, reconhecimento legal das centrais sindicais, qualificação de milhões de trabalhadores e regulamentação do ponto eletrônico para proteger o bom trabalhador e o bom empregador, entre outras realizações.

Saio com a consciência tranquila do dever cumprido, da minha honestidade pessoal e confiante por acreditar que a verdade sempre vence.