Após prefeitura ficar sem comando, Vidigal retorna de Israel e cita Jesus Cristo

No primeiro discurso na Serra após viagem a Jerusalém, Israel, o prefeito Sérgio Vidigal (PDT) disparou contra adversários. Ele disse que não vai se abater ante a polêmica da vacância da cadeira do Executivo municipal, e até citou Jesus Cristo.

“Não vamos nos abater e, como eu vim de Jerusalém, estou ainda mais convicto de que o que eu estou passando é muito pouco. As acusações que estou sofrendo são muito pequenas se a gente lembrar o quanto Jesus Cristo sofreu sem dever nada a ninguém”.

Vidigal viajou enquanto a vice-prefeita da Serra, Madalena Santana (PSB), também estava no exterior, na Espanha. Um decreto passou o comando do município a ela. A socialista admitiu que se comprometeu com o prefeito mas, mesmo assim, ausentou-se para participar de uma missão oficial. O episódio gerou críticas à vice e ao prefeito, que foram alvos de alguns vereadores.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

As declarações de Vidigal foram feitas durante a inauguração do Anbulatório de Especialidades Médicas da Serra, na manhlã desta sexta-feira ( 14 ).

A plateia, em sua maioria composta por correligionários e servidores municipais, aplaudiu. Madalena não compareceu.

O prefeito ainda ironizou: “Einstein dizia que a fama é igual ao cabelo, só cresce depois que o sujeito morre. É só aí que as pessoas lembram dele. Estou muito feliz porque eu nem precisei morrer. Foi só eu me ausentar uma semana que todo mundo ficou preocupado comigo”.

Em entrevista após a solenidade, o prefeito disse que perdoa a vice e a elogiou. “Passo a admirá-la ainda mais pela postura que ela teve ante aos meios de comunicação e à população. Poucas pessoas teriam a coragem de reconhecer um erro, principalmente na vida pública”.

Vidigal minimizou os efeitos das ausências dele e de Madalena, afirmou que nenhum serviço foi afetado devido ao período de feriado e classificou a repercussão do episódio como “tempestade em copo d’água”, causada por motivos políticos.

A viagem de Vidigal a Israel foi para um retiro espirtual junto a um grupo cristão do qual participa. Ele contou que jejuou por três dias, frequentou cultos e foi ao Monte Carmelo, localizado na costa de Israel e citado em passagens bíblicas.