Ambulante morre após ser espancado ao defender homossexual

vendedor ambulante morreu após ter sido espancado na estação Pedro II do Metrô na noite desde domingo (25). Fotos tiradas dentro da estação mostram o momento em que dois homens atacam Luis Carlos Ruas.

Ivani Akemi estava na região e viu como a agressão começou. Por volta das 20h, dois homens teriam ido urinar nas plantas do lado de fora da estação quando um morador de rua, que seria homossexual, reclamou. Ele foi perseguido pelos homens e Luis Carlos tentou defender o colega.

A vítima ainda tentou correr até a bilheteria do Metrô, mas foi atingido por vários golpes e caiu. A Polícia Civil informou que está investigando o caso por meio de um inquérito policial. “As equipes realizam diligências para identificar e prender os suspeitos. Imagens de câmeras de segurança serão solicitadas para auxiliar na investigação. A polícia apura possível envolvimento de um grupo de intolerância na autoria do crime”, informou a Secretaria de Segurança Pública (SSP) em nota.

O vendedor era conhecido como Índio nas redondezas da estação. Trabalhava no local há mais de 20 anos.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Luiz Carlos Ruas era vendedor ambulante (Foto: TV Globo/Reprodução)

A esposa Maria Aparecida Cavalcante, conta que conversou com o marido 20 minutos antes das agressões. Chamada por Ivani para socorrer Luis Carlos, ela afirma que encontrou o vendedor caído e machucado. “Quando eu cheguei ele já estava no chão, todo deformado”.

Luiz Carlos foi socorrido por funcionários do metrô, mas não resistiu e morreu no hospital Municipal Vergueiro. O caso foi registrado no 78º Distrito Policial como homicídio qualificado, mas será encaminhado ao 5ºDP.

Em nota, o metrô confirmou o ataque e afirmou que os primeiros socorros foram prestados pelos agentes de segurança. “O Metrô colabora com a Autoridade Policial para o esclarecimento do crime.”