“Pela primeira vez um negro capixaba chega ao Tribunal”

Igualdade. Essa foi a palavra que norteou o discurso de posse do desembargador Willian Silva, primeiro negro a assumir um vaga na Corte do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES). “ Sou negro, da pele preta com orgulho”, pontuou.

Nascido no distrito de Celina, em Alegre, Região do Caparaó, o novo desembargador afirmou que tem orgulho da origem pobre. Ainda pequeno, junto com sua família, foi um das fundadores do bairro da Penha, em Vitória.

“Saí de Alegre para ajudar com meus pais a fundar o Bairro da Penha (Morro da Penha), e, como ajudante de pedreiro, trabalhei na construção da casa onde residi na juventude. Lá, dentre vários que viviam na marginalidade, preferi e escolhi estudar para ser o primeiro da família a acessar um curso superior e um dos poucos negros, à época, a atingir tal realização”, afirmou.

O desembargador Willian Silva ainda disse, emocionado, que conseguiu chegar ao cargo porque acreditou que podia fazer a diferença e, assim, lutou contra todas as barreiras que lhe foram impostas ela vida:“Eu acreditei que podia ser diferente. Lutei contra a pobreza, o preconceito, a discriminação e a desigualdade social que, lamentavelmente, ainda há no Brasil”.

Ele ainda pediu que todos que passam pelo mesma situação acreditem na vitória e demonstrou, quebrando o protocolo, ao chamar por Vicente Pereira, garçom há 17 anos da presidência do TJ, para que se levantasse no meio do auditório e o incentivou a contar a todo mundo que é possível realizar o sonho, como ele mesmo conseguiu.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Para abordar as várias formas de desigualdades encontradas atualmente na sociedade, Willian Silva citou o caso ocorrido no São Paulo Fashion Week de 2009, quando o Ministério Público do Estado abriu inquérito civil público para apurar o preterimento de modelos negras.

“A estilista Glória Coelho, chamada a prestar depoimento sobre o fato, disse: na Fashion Week já tem muito negro costurando, fazendo modelagem, muitos com mãos de ouro, fazendo coisas lindas, tem negros assistentes, vendedoras, faxineiras, por que tem de estar na passarela?”, pontuou. “Imagina se ela me vir aqui tomando posse como desembargador?”

Casos como a declaração do Jair Bolsonaro, do Rio de Janeiro, contra a cantora Preta Gil também foram citados para demonstrar que o racismo ainda está enraizado na sociedade atual.

Ao final do seu discurso, o novo integrante da Corte ressaltou a pretensão que tinha de assumir antes o cargo, mas ponderou que, apesar do atraso, não podia ter assumido em melhor hora.“Sonhei em chegar antes, mas o horário de Deus é diferente do nosso. Chego na hora certa para unir esforços à Mesa Diretora na construção de um novo Judiciário”.

Solenidade

Durante o evento, o desembargador Willian Silva ganhou o colar de Mérito Judiciário, concedido aos desembargadores no ato em que assumem oficialmente uma vaga no TJES. Na ocasião, em nome dos colegas, o desembargador Ronaldo Gonçalves de Sousa, fez o discurso de boas vindas.

Em sua fala, Ronaldo Sousa, comemorou a conquista do amigo pessoal, que conheceu há três décadas. “ Willian Silva exerce com brilhantismo na concretização do Direito”, ressaltou o desembargador, que ainda brincou com o sotaque adquirido pelo colega e do gosto pelo futebol.